História de superação marca a 12ª edição do Programa Nossa História

Osasco - Foto: Murilo Raggio

Mulher, negra, professora… Não foram poucos os desafios impostos pela vida à Onice do Carmo Vieira, assessora pedagógica da EMEIEF Saad Bechara. Às vésperas de completar 70 anos, a professora apertava com força sua mão esquerda, enquanto ouvia a leitura de sua biografia. Talvez, para que as lágrimas não corressem pela face antes do hasteamento das bandeiras, realizado durante a 12ª Edição do Programa Nossa História, na manhã de quinta-feira (25), na Câmara Municipal de Osasco.

Onice Vieira foi uma das convidadas especiais do evento cívico, que acontece semanalmente. A professora foi a responsável por hastear a bandeira do estado de São Paulo.

Outra convidada especial foi Marli Maria Suave Zanatta, filha dos emancipadores Lázaro Suave e Magdalena Colasani Suave. Ela foi a responsável pelo hasteamento da bandeira de Osasco.

Por fim, o terceiro convidado foi o coronel do Exército, Júlio César Fidalgo Zary, que alçou a bandeira do Brasil.

“Nosso amigo Sebastião Bognar tem sempre muita inspiração para convidar as pessoas que participarão deste ato cívico. Fiquei encantado com a história da Onice; com a presença da família Suave, pelo que eles representam para Osasco; e com a presença do coronel aqui no Legislativo”, comentou o presidente da Frente Parlamentar Nossa História, Rogério Santos (PL), ao falar sobre a importância que a Câmara Municipal tem dado para o fortalecimento das instituições que formam a base do país. “Essa legislatura tem dado justa importância à valorização das instituições aqui representadas: a família, a educação e o Exército”, afirmou o vereador.

O encantamento pela história de Onice Vieira pode ser explicado pela fala da própria professora. “Não tenho palavras para expressar a felicidade deste momento. Orgulho-me de ser mineira, mas sou osasquense de coração. Estou muito emocionada. Não é fácil chegar aonde cheguei e orgulho-me de ser professora. Não tenho palavras para agradecer”, declarou Onice Vieira, emocionada. Nascida em Diamantina, Minas Gerais, mudou-se com os pais para Osasco em 1968, onde trabalhou como doméstica e, depois, em algumas empresas. Em 1986, entrou no serviço público como cozinheira de escola e a paixão pela educação foi regada. O que era uma semente germinou. Onice fez magistério, pedagogia, e começou sua carreira na educação, onde permanece até hoje.

Também emocionada, Marli Zanata falou sobre o orgulho de representar no evento o pai Lázaro Suave, ou simplesmente Lazinho. Emancipador, faleceu jovem, aos 56 anos de idade, e foi o primeiro jornaleiro de Osasco. Também trabalhou na Cobrasma, onde, nas festas de final de ano, se fantasiava de papai Noel. “E muito orgulho representar meu pai Lázaro. Ele amava Osasco fazia tudo pela cidade. É muito especial para mim, representá-lo aqui”, disse Marli, que estava acompanhada do irmão Lázaro, presidente da Ordem dos Emancipadores de Osasco.

O Exército brasileiro foi representado na 12ª edição do Programa Nossa História pelo comandante do 2º Batalhão de Polícia do Exército, coronel Júlio Zary, tem um currículo impecável. É graduado em ciências militares, pela Academia Militar das Agulhas Negras, e em educação física e história.

O coronel agradeceu o convite para participar do evento e reforçou a importância de valorização de atos cívicos como o proporcionado pelo Programa Nossa História. “O Exército brasileiro se sente honrado em fazer parte desse evento, que resgata não apenas a história, mas também o orgulho do civismo, que está em falta”, avaliou.

Josias da Juco, vice-presidente da Frente Parlamentar Nossa História, ressaltou a importância do evento e de como a história está sendo valorizada. “Aqui nós falamos com muito amor e carinho sobre o fortalecimento das instituições. Conhecemos histórias incríveis de pessoas que fizeram a história de Osasco, como a da professora Onice e do Lázaro. Educação é a própria vida e todos nós passamos pelas mãos de um professor. E a história da Onice fala muito sobre ela, sobre a busca de seus direitos. Ela é um exemplo”, afirmou o parlamentar.

Por Ana Luisa Rodrigues

Fonte: osasco.sp.gov.br